Voltar

Produtores rurais do sul do Pará serão capacitados

A ação faz parte do Programa Territórios Sustentáveis

Data: 06/11/2020
Foto: Reprodução

                         A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) vai realizar novas ações para apresentar e divulgar tecnologias de produção, para capacitar agricultores familiares, cooperativas, associações e sindicatos da região da PA-279, no sul e sudeste do Pará. As atividades serão realizadas nos próximos dias 23 e 24 de outubro. A ação faz parte do Programa Territórios Sustentáveis (PTS), que pertence ao Plano Estadual Amazônia Agora, do governo do Pará. De acordo com Lucas Viera, secretário adjunto da Sedap, o projeto já foi apresentado para as comunidades em Água Azul do Norte, Tucumã, Ourilândia do Norte e São Félix do Xingu. “A intenção é que o estado esteja presente em toda a região e mostrar para o produtor que estamos com ele para ensiná-lo a produzir de uma forma mais sustentável através de cursos, demonstrando boas práticas e capacitando”, ressaltou. Ele destaca que, dentre as capacitações, a secretaria trabalha com a ação de inseminação artificial, que é a biotecnologia mais aplicada na reprodução animal. Essa técnica é utilizada principalmente para a disseminação da genética de reprodutores que apresentam maior valor zootécnico. No entanto, enfatiza a Sedap, para que se obtenha sucesso da adoção da técnica, é fundamental que seja realizado um bom treinamento dos profissionais que serão responsáveis por aplicá-las nas propriedades. Ainda segundo a secretaria, apesar da popularização da inseminação artificial, menos de 15% dos produtores utilizam essa técnica no Estado. Segundo o coordenador de Produção Animal da Sedap, Ronnald Tavares, a capacitação dos produtores do TS vai melhorar a produtividade do rebanho. “Um dos fatores limitante é justamente a disponibilidade de profissionais qualificados na área. Por isso, temos o objetivo de capacitar os jovens para que possam depois repassar essas informações”, acrescentou.

 




Por: Folha de Carajás

jornal@folhadecarajas.com


Comentários

Deixe seu comentário