Voltar

Operação Covid-19 realiza mutirão em Aldeias Kayapó

O trabalho envolve Marinha, Exército e Força Aérea

Data: 21/11/2020
Foto: arquivo

As comunidades da Terra Indígena Kayapó no Polo Base de Ourilândia do Norte no sul do Pará, estão recebendo ação de saúde na Operação Covid-19 realizada pelos ministérios da Defesa (MD) e da Saúde (MS). A ação, que começou dia 17 e segue até o próximo dia 24, envolve equipes da Marinha, Exército e Força aérea Brasileira (FAB), que estão realizando atendimento e ações preventivas ao novo coronavíus e outras doenças. A ação, denominada “Missão Kayapó”, conta com uma equipe de mais de 60 pessoas, sendo 26 profissionais de saúde nas áreas de pediatria, ginecologia e obstetrícia, clínica geral, médicos veterinários, enfermeiros e técnicos de enfermagem, de laboratório e de veterinária. A expectativa é atender mais de seis mil índios das aldeias Turedjam, Kikretum, Kokraimoro, Moikarako, Aukre, Kubenkrãnkrehn e Gorotire. Mais de três toneladas de insumos foram levados à região por meio de aeronave da FAB. Segundo o secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache, a operação também irá atender diversas aldeias no Pará. “Vamos atender uma série de aldeias isoladas, que estão precisando do nosso apoio. É a segunda vez que voltamos ao Pará, uma vez que já estivemos em Tiriós, no noroeste do estado. O Ministério da Defesa e o Ministério da Saúde, por meio desta ação interministerial, cumprirão aquilo que nos determinamos, que é levar saúde, orientação, meios, insumos e medicamentos a comunidades indígenas aldeadas”, destacou o general. O Coordenador Administrativo da Missão, Tenente-Coronel Klaus Raylen Tavares Rêgo, explica que além de levar saúde as comunidades isoladas e mitigar os impactos do novo coronavírus, o objetivo da operação fazer a orientação das comunidades para se prevenir contra doenças. “Nossa intenção nesta missão interministerial é atender o maior número de índios da etnia Kayapó no apoio à saúde e conscientização no enfrentamento à Covid-19” e outras doenças nas aldeias”, explicou o oficial. Os militares da missão pernoitam, até o dia 24 de novembro, na Base em Ourilândia do Norte e se deslocam diariamente às aldeias, por meio de helicópteros e viaturas das três Forças. A Operação conta também com apoio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI).

 




Por: Folha de Carajás

jornal@folhadecarajas.com


Comentários

Deixe seu comentário